sexta-feira, 1 de novembro de 2013

ALIANÇA PLEIADIANA/ARCTURIANA - A MISSÃO COMEÇA

ALIANÇA PLEIADIANA/ARCTURIANA - A MISSÃO COMEÇA
Por Suzanne Lie PhD
Em 12 de fevereiro de 2013


Observação: decidimos retomar a tradução e postagem do livro de Suzanne Lie, que foi disponibilizando conforme escrevia em seu blog. Para quem não leu ainda os textos anteriores ou leu e quer recordar, criamos uma aba denominada Mytre e Mytria, onde estão os links dos textos na devida sequência e que iremos adicionando os novos links conforme formos traduzindo e postando a continuação. Suzanne deu início a uma nova fase, em continuação a esta que agora começamos a traduzir.
Sintese



Dizendo Tchau

MYTRE COMEÇA:

Saímos de nossa "Holoescola" sentindo-nos renascidos.

Nós não sabíamos o que nossa aventura nos traria, mas sabíamos que seríamos transformados para sempre.

Novamente caminhamos até nosso alojamento para ancorar aquilo que o Arcturiano compartilhou conosco enquanto estávamos na aura dele.

Sim, o Arcturiano nos levou em outro "passeio" de energias espiraladas de luz.

Neste estado de ser sem forma nós éramos capazes de entender toda a informação que havíamos baixado da aura do Arcturiano.

Nós gravamos todas aquelas instruções importantes com relação à nossa Missão em nossas Mentes Multidimensionais.

Desta maneira a informação seria gravada de acordo com o estado de consciência que poderia lê-la.

As instruções entrariam em nossa consciência consciente quando a frequência de nossa consciência estivesse calibrada à frequência de cada mensagem.

Assim, enquanto na Nave Mãe, nós poderíamos lembrar e compreender tudo porque tínhamos o apoio da consciência multidimensional da Nave Mãe e da mente cósmica.

Felizmente, incluído em nossas instruções estava como fazer o link com a Nave Mãe para que pudéssemos amplificar nossa própria consciência e utilizar o campo de energia da Nave Mãe para nos assistir em nosso teletransporte.

Uma das primeiras lições que a Nave Mãe compartilhou foi para nós nos lembrarmos de guardarmos qualquer forma física que estivéssemos usando num local seguro antes do teletransporte.

Em nossas Expressões Superiores do EU, Mytria e eu havíamos ascendido além do ciclo de vida e morte.

Entretanto, se criássemos um vaso terreno e permitíssemos que ele se danificasse, isto seria um grande desvio de nossa Missão.

Nós também nos lembramos de que o Arcturiano nos disse que viajaríamos na Athena para nos aproximarmos da Terra.

Então, a Athena seria a nossa sede nesta Missão.

Visto que a força de vida da Athena estava sempre em contato com a Nave Mãe, nós poderíamos mais facilmente interagir com a Nave Mãe.

Deu-nos grande conforto saber que estaríamos vivendo na Athena e também permanecendo em contato com o nosso Lar na Nave Mãe.

Na verdade, nós teríamos essa conexão mesmo se estivéssemos usando a ilusão de um corpo físico terreno.

Visto que a frequência tridimensional de realidade já é uma realidade holográfica sendo refletida de sua Matriz núcleo, seria bastante simples para nós criarmos uma forma humana a partir da matriz da Terra.

Nós pensamos sobre como já havíamos acreditado que nossa forma física era o nosso EU, e nós acreditávamos completamente que nossos corpos físicos eram reais.

Nós não fazíamos ideia de que nossos corpos eram projeções da Matriz.

Esta ideia foi bastante desconcertante quando nos conscientizamos de como lamentávamos a perda de nossos amigos e familiares que se desconectavam da Matriz para voltar à sua frequência superior do EU.

Nós também nos lembramos da grande dor física que experimentamos com nossos muitos ferimentos de guerra e da profunda dor emocional e angústia mental que sofríamos enquanto na ilusão de que a realidade física era o único mundo real.

O poder do esquecimento e a necessidade de se apegar à ilusão são praticamente incompreensíveis quando percebidos de nosso atual estado de consciência.

O Arcturiano dissera que muitos se perderam em sua fisicalidade.

E se nós também nos perdêssemos nas ilusões da terceira dimensão?

Mytria imediatamente respondeu ao meu pensamento temeroso com uma severa advertência de que esse tipo de pensamento é exatamente como nós iríamos nos perder.

Nós paramos bem no meio de um corredor movimentado e prometemos que ajudaríamos um ao outro a monitorar nossos pensamentos e emoções.

Nós também lembramos um ao outro que teríamos que comer e dormir numa rotina regular sempre que usássemos nossos vasos terrenos.

Na verdade, nós decidimos que se fosse possível nós retornaríamos à Athena toda noite.

Sim, esta seria a solução.

Nós deixaríamos o tempo e a polaridade do planeta e voltaríamos para a Nave pentadimensional.

Então, nós poderíamos fazer um balanço todos os dias e ter mais contato com o Arcturiano.

Ao tomarmos essa decisão, nós sentimos o imenso campo de energia do Arcturiano nos envolver com amor incondicional e apoio.

O Arcturiano estava nos lembrando de que Ele poderia nos atender e responder aos infinitos pensamentos, emoções e chamadas dentro do AGORA.

Quando passamos pelo Salão de Refeições, soubemos que precisávamos entrar e dizer tchau, por enquanto, aos nossos maravilhosos amigos.

Novamente ficamos acordados até tarde nos dizendo com um sorriso que estávamos nos "preparando para sermos físicos".

Então nós rimos desse conceito, sem sabermos que desafio extremo seria para nós assumir uma forma física.

Eu estive com o Arcturiano e Mytria esteve com os Elohim Alycone.

Então nós dois compartilhamos experiências na Nave Mãe.

Assim, nós não fazíamos ideia do que estava à nossa frente.

Na verdade, nós zombamos de alguns dos perigos que nossos amigos tinham nos contado.

Parece que o problema principal de baixar nossa frequência até o nível de usar um recipiente físico é que nós podemos nos esquecer de quem somos e de por que estamos ali.

O Arcturiano tentou nos avisar desses perigos, mas nós não quisemos ouvi-lo.

Felizmente, eu tinha estudado sobre o controle de minha mente e a expansão da consciência e Mytria esforçou-se igualmente aprendendo a ser mestra de suas emoções e a conectar-se com os Elohim do planeta.

Eu compartilhei muito de minha aprendizagem com o Arcturiano na Nave Mãe, Mytria simultaneamente estava aprendendo sobre o poder da emoção com o Arcturiano e com os Elohim Alycone.

Os Arcturianos são realmente Elohim, pois os Elohim são os construtores e mantenedores da forma.

Os Arcturianos participaram do modelo inicial de Adam Kadmon, a forma humana original do Corpo de Luz.

Visto que os Arcturianos se especializaram em ascensão, eles ensinam o processo de baixar o Corpo de Luz para a forma física e, simultaneamente, transmutar a forma física para Corpo de Luz.

Desta maneira, o Corpo de Luz é a força de união que conecta o vasto campo de energia de nosso EU Multidimensional com a nossa frequência mais baixa de EU.

Mytria agora vai compartilhar suas iniciações e o serviço como a Guardiã da Chama Violeta de Alycone.


MYTRIA FALA:

Queridos em ascensão na Terra, eu os saúdo com meu amor incondicional.

Sinto-me honrada por compartilhar tudo que eu aprendi, o que Mytre aprendeu e o que nós aprendemos e recordamos juntos.

Eu digo recordamos porque nós existimos infinitamente no grande Fluxo do UM.

Entretanto, assim que baixamos nossa consciência para nossas formas físicas tri/tetradimensional pleiadianas, nós começamos a nos esquecer de tudo que nós já sabíamos.

É por esta razão que nós fomos tão bem preparados antes de nossa excursão à realidade física.

E claro, não é por acaso que Mytre se especializou na polaridade masculina de pensar e de consciência pura, enquanto que eu me especializei na polaridade feminina de emoções e no cuidado de todas as formas de vida.

Agora que nós fundimos dois Complementos Divinos em UM, nós dois podemos facilmente acessar a "especialidade" um do outro dentro do UM de nosso EU.

Esperamos que nossas histórias os ajudarão a se lembrarem de seu verdadeiro EU, tal como nós nos lembramos dos nossos.

Os mundos inferiores de terceira e quarta dimensão são uma projeção holográfica da Matriz Interna de cada mundo.

Entretanto, a Matriz Interna é uma projeção mental de Seres dos mundos superiores, tal como os Elohim Arcturianos.

A grande Mente Cósmica criou a Matriz, que acena para campos de energia viajantes para se conectarem à sua Matriz de realidade.

O amor incondicional do seu Coração Superior é o que adere a estrutura molecular da vida à Matriz de frequências superiores.

Esta situação é semelhante ao nascimento da realidade que Mytre e eu vivenciamos.

O que nós primeiro experimentamos como uma névoa na verdade era a Matriz.

A Matriz era invisível porque não havia vida ligada à ela.

A Matriz é um campo de energia.

A Matriz invisível é multidimensional, o que significa que ela ressoa a muitas frequências diferentes de realidade possível.

A Matriz em si é mais de uma estrutura mental e as diferentes frequências ressoam a diferentes estados emocionais de consciência.

Por exemplo, o medo é um estado emocional de baixa frequência de consciência e o amor incondicional é a frequência mais alta da consciência emocional.

Os mundos físicos têm inúmeras Matrizes das quais vocês não têm consciência.

Entretanto, uma vez que a frequência apropriada e a intenção da forma-pensamento emocionalmente carregada encontra seu caminho para esse padrão de energia, ela imediatamente adere à Matriz para criar o nascimento de uma forma e um portal para uma expressão dimensional de realidade.

Quando nós vivemos no padrão de energia do amor incondicional, nós somos muito "magnéticos" e atraímos inúmeras realidades possíveis para nascerem através da matriz invisível que sempre flui por todas as realidades baseadas na forma.

Se nós estamos felizes com o padrão em que estamos vivendo, é importante viver em Gratidão por essa substância dessa realidade.

Gratidão pela substância que temos duplicará essa substância indefinidamente.

Além disso, a Matriz não visível está eternamente chamando para dar vida a novas possibilidades de existência.

Assim, o pensamento, energia sem forma, está aguardando para ser manifestado pela aderência de emoção que sempre está procurando novos modos em que o amor pode se tornar manifesto.

Entretanto, a emoção somente se aderirá à frequência da Matriz que é de frequência igual.

Portanto, emoções temerosas (medo, raiva, tristeza) também têm uma capacidade criativa, pois elas se ligarão à frequência inferior da Matriz da realidade.

Felizmente, se o amor incondicional fosse aderir a uma Matriz de baixa frequência, ele simplesmente apagaria esse padrão de energia, porque a frequência superior pode transmutar uma frequência inferior com o poder de sua luz.

É por essa razão que o amor incondicional é uma ferramenta tremendamente valiosa enquanto se usa uma forma tri ou até tetradimensional.

Se vocês igualarem sua emoção à frequência da Matriz, tal como um medo com a parte de frequência inferior da Matriz, vocês experimentarão uma realidade temerosa.

Esta escolha é como vocês podem ficar presos na Terceira Dimensão.

Se vocês se esquecerem do poder do amor incondicional vocês podem ficar cada vez mais temerosos, o que os ligará às matrizes de frequências mais e mais baixas.

Este apresamento é como uma aranha captura seu alimento.

O inseto fica aderido à teia viscosa da aranha.

Então ele se debate, o que o prende ainda mais na teia.

Então a aranha vem e realmente envolve sua presa na matriz de sua teia.

Da mesma maneira, se uma Matriz temerosa os prende é porque vocês entraram no medo, e sua única saída é SER a frequência do amor incondicional.

O amor incondicional desarticulará as expressões de baixa frequência da Matriz e vocês estarão livres para deixar essa realidade e se relocar para uma realidade baseada no amor incondicional.

O Arcturiano e os Elohim Alycone me ensinaram a me autotreinar para imediatamente substituir o medo pelo amor incondicional.

O processo de substituição era extremamente difícil, mas eu agora percebo que ele era vital para a nossa Missão na Terra.

A melhor maneira de compartilhar este processo é começar a minha história onde ela parou...


HISTÓRIA DE MYTRIA:

Minha história parou quando eu entrei no vórtice para o Ventre da Mãe, que era o nosso nome para o núcleo planetário onde encontramos o Arcturiano e os Elohim Alycone pela primeira vez.

Mytre tinha valorosamente bilocado para estar comigo enquanto eu preparava minha consciência para abrir o Portal da Rocha Sagrada.

Foi a entrega ao amor incondicional que Mytre e eu compartilhamos que me possibilitou abrir este Portal e entrar nele enquanto usando minha forma física.

Nos muitos anos que Mytre e eu estivemos separados, eu focalizava no processo de entrega ao amor.

Visto que eu estava sofrendo muito com a perda de Mytre e também uma boa dose de raiva por não podermos compartilhar a criação de nossa filha, eu não tinha outra escolha além de meditar sobre a disciplina de escolher o amor.

No início meu amor era condicional, pois eu sentiria amor se tivesse o que eu queria.

De fato, eu orei à Grande Mãe por anos que eu A serviria se ela trouxesse de volta o meu amor.

Em outras palavras, meu amor era condicional.

Era condicional porque estava ligado à tristeza e raiva, o que mantinha minha consciência abaixo da frequência do amor incondicional.

O amor incondicional é a frequência mais alta da luz e a força criativa do Universo.

Para eu completar meu Caminho de ser uma Guardiã da Chama Violeta, eu teria que viver em amor incondicional.

Eu encontrava a frequência do amor incondicional dentro de mim enquanto estava na Natureza, quando era capaz de liberar Mytre para o dever dele e enquanto eu criava minha filha.

Entretanto, meu foco no sentimento da vida cotidiana sem ele e a perda de nossa unidade familiar continuava abaixando minha consciência.

Foi a minha filha maravilhosa, Alycia, quem respondeu minhas orações.

Alycia nasceu com mais sabedoria, poder e amor que a maioria dos adultos, incluindo a mim.

Cuidar dela foi a minha honra e a sabedoria inata dela foi o meu mestre eterno.

Ao ser pai e mãe de Alycia, eu percebi que meu amor por ela era muito mais importante do que as emoções baseadas no medo que estavam escondidas em meu coração.

E também nós ainda éramos uma família.

Por muitos anos nós nos encontramos com Mytre em nosso corpo noturno, o que foi um treinamento maravilhoso para a nossa filha, mas insatisfatório para mim.

Felizmente, Alcyone, que recebeu esse nome dos Elohim com quem nós dois estudamos, veio me resgatar.

Sim, eu cuidava dela, pois seu corpo era o de uma criança, mas ela também cuidava de mim.

Sua constante pureza e inocência eram uma fonte constante de conforto e iluminação para mim.

Foi o amor incondicional inato dela que evitou que eu ficasse totalmente presa na teia de minhas emoções temerosas.

Entretanto, permitam-me avançar em minha história até o momento em que deixei minha filha e nossa vida no Templo.

Na verdade, foi Alycia que iniciou minha partida.

Ela veio a mim numa manhã ensolarada e disse: "Mãe, agora é hora de você partir".

Fiquei chocada com uma adolescente vir a mim com tanto amor e pureza e me dizer que era hora de partir.

Na verdade, meu ego assumiu por um momento e eu comecei a ficar magoada e brava.

Então eu percebi que Alycia estava com o Brilho ao seu redor outra vez e eu sabia que ela estava falando a partir de seu EU Elohim.

Dentro daquele momento uno de conscientização, eu soube que tudo que havia acontecido estava de acordo com um Plano Divino.

Não existiram enganos ou acasos.

Com essa conscientização e também a frequência de luz emanando de minha filha, todas as minhas emoções temerosas derreteram-se e saíram de minha aura.

Eu esperei tanto tempo por este dia, o dia da minha liberação das minhas emoções dolorosas.

Eu me ajoelhei na frente de Alycia, pois ela estava em algum lugar dentro de sua presença Elohim, e enviei a ela amor incondicional e gratidão pela honra de ser sua mãe.

Eu então me conscientizei de que tudo que havia acontecido era perfeito e era um componente de nosso Plano Divino.

Ergui meu olhar até os olhos violeta e puros de minha filha, os Elohim a quem eu tive a honra de fazer nascer e entreguei-me à Sua bênção.

Eu não sei quanto durou este momento, mas ele mudou a vida de nós duas.

Eu sabia que Alycia não precisava mais de mim e que eu podia voltar para a minha amada Natureza.

Eu sabia que estaríamos em contato constante, pois eu estaria trabalhando com a verdadeira Mãe de minha filha, os Elohim Alycone.

Por fim, o momento foi rompido quando a Suma Sacerdotisa do Templo entrou no quarto.

Ela sentira a energia de uma parte distante do Templo e veio investigar.

Quando a Suma Sacerdotisa entrou na sala, ela também caiu de joelhos perante o Brilho de Alycia.

Nós três permanecemos dentro da energia até que a energia de minha filha cedeu e sua forma física colapsou.

A Suma Sacerdotisa e eu a pegamos e levamos para sua cama que estava perto.

Nós acendemos incenso e cantamos enquanto sua forma adormecida se recuperava da repentina infusão de sua luz superior em seu jovem corpo.

Quando Alycia acordou, ela se lembrou de tudo.

Ela passara toda a sua vida morando num Templo e cercada por homens e mulheres que a amavam profundamente.

Eu percebi que Mytre tivera de partir porque Alycia devia passar seus anos de formação neste ambiente.

E também Mytre e eu deveríamos estar separados enquanto trilhávamos nossos caminhos de iniciação.

Eu me entrego à possibilidade de que Mytre e eu poderíamos ter tido apenas um breve encontro para dar à Alycia seu corpo.

Sim, eu pensava com alegria e gratidão que aquele breve tempo seria suficiente.

Afinal, eu estava curada de meu medo e raiva, e estava preparada para começar meu serviço à Grande Mãe, os Elohim Alycone.



Fonte: http://suzanneliephd.blogspot.com
Tradução: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com

Respeite os créditos

2 comentários:

  1. amor incondicional para todos os infinitos.

    ResponderExcluir
  2. Gosto muito dos textos de Suzanne Lie, grata pela tradução
    Aldenize

    ResponderExcluir

Agradecemos por seu comentário.
Comentários enviados anonimamente não serão publicados.
SINTESE